Impresora 3D

Resinas 3D Calcináveis na Odontologia

Makertech Labs
Postado por: Makertech Labs
Publicado em: 18/02/2022

Desafios e possibilidades

Por:  CD Fabricio Gebrin –  Makertech Labs

As próteses dentárias oriundas de fundição são confeccionadas há décadas na odontologia, mas muitos laboratórios odontológicos ainda não conseguiram integrá-las aos fluxos de trabalho digitais devido às dificuldades de adequação às novas tecnologias, aos custos de investimentos, e principalmente, por problemas durante o processo de fundição.

No entanto, esses problemas não são novos. Os técnicos em prótese dentária mais antigos lembrarão dos problemas enfrentados nas fundições na década de 80, onde ainda tínhamos limitações de técnica e problemas em materiais de revestimento.  Como exemplo, citamos a introdução de sprues de plásticos, uma ideia brilhante da época, pois, ajudariam diminuir distorções e a retenção de calor gerada pelas ceras.  Porém, rachaduras começaram a ser notadas no revestimento, e uma camada de cera aplicada por fora desses sprues resolveram o problema. Depois disso, sprues ocos foram substituindo os sólidos e com espaço para movimentações na fundição, os problemas foram diminuindo. O que normalmente nunca falamos são as causas dos problemas do passado, e já que foram resolvidos, ficamos felizes e esquecemos.

Hoje, praticamente uma geração depois, as empresas introduziram a impressão 3D de resinas Castable (resinas calcináveis) no setor de odontologia, e começamos a enfrentar os mesmos problemas novamente provenientes de uma evolução. Os primeiros adeptos de copings impressos em 3D começaram com sucesso enquanto o volume era baixo, mas à medida que o número e tamanho de elementos no anel de fundição aumentavam, voltaram os problemas de porosidades e quebra do revestimento durante o aquecimento. Além disso, surgiram outros problemas referentes à tecnologia, como falhas nas impressões 3D, adaptação, calibração e uma série de novos contratempos que tiram o sono do técnico em prótese dentária. Porém, assim como qualquer nova solução, esta também demanda, além dos equipamentos e softwares, um conhecimento mais aprofundado, o que traz algumas dificuldades na curva de aprendizado até que seja dominada por completo.

Agora progredimos das fundições tradicionais para um fluxo digital, fundições de resina, injeção de dissilicato de lítio e design 3D de armações de próteses parciais cujos volumes de material de resina criam um desafio ainda maior. Portanto, precisamos entender o que realmente está acontecendo no anel enquanto o material de resina queima. 

Ao contrário da cera, que já inicia seu derretimento quando o revestimento fosfatado atinge os 80°C (em média), a resina castable não se comporta dessa maneira. A mudança de temperatura de onde a resina castable começa queimar até onde ela volatiliza é pequena, e neste intervalo ocorre uma expansão muito grande, causando pressão interna extrema no revestimento que pode vir a fraturar. Isso ocorre principalmente porque os componentes dessa resina são polímeros que se expandem antes de queimar por completo, por possuírem um coeficiente de expansão térmica alto quando aquecidos.

Algumas resinas Castable para impressora 3D atuais, possuem cera em sua composição, visando diminuir os problemas citados, mas ainda possuem em sua formulação polímeros que também irão expandir. Então, o que fazer?

Primeiramente devemos escolher materiais de qualidade e de preferência com carga de cera. Seguir as instruções de todo o processo de impressão, lavagem e pós-cura indicado pela empresa é primordial.

Normalmente resinas para fundição necessitam de lavagem rápida e a pós-cura deve ser seguida para uma boa queima. Queimas longas e lentas ou rampas de vários patamares ajudam a resolver o problema, mas o principal fator ainda são os revestimentos, que além de fosfatados, precisam ser mais duros e resistentes às expansões para fundições desse novo material. Por esse motivo, escolha sempre revestimentos mais resistentes para trabalhar nas fundições de impressão 3D, ou revestimentos específicos para fundições e injeções de impressões 3D. Novos revestimentos estão surgindo exclusivamente para esta finalidade e já possuem suas rampas definidas.

2) Qual é a velocidade de impressão?

Isso dependerá de três fatores: tamanho do objeto, tempo de cura da resina por camada e o tipo de impressora que está sendo utilizado para o trabalho.Impressoras guiadas por lasers conhecidas como SLA-LASER, entregam peças com alto nível de detalhamento, porém necessitam de mais tempo pois o sistema de laser precisa “varrer” toda a camada com seu sistema de galvos e laseres.   Por outro lado, impressoras DLP, que tem sua impressão realizada por projetores UV, serão mais rápidas, pois projetam a camada inteira de cada vez e possuem excelente nível de detalhamento. Ainda, as impressoras LCD, mais acessíveis do mercado, também possuem ótima velocidade de impressão pois também imprimem uma camada inteira por vez, mas oferecem um nível de detalhamento levemente inferior as demais e são mais frágeis.

Por esse motivo, é muito importante escolher além da impressora certa, a resina 3D com a formulação compatível com a sua impressora, para que você não tenha problemas com a impressão.

3) E quanto ao detalhamento ? Como fica a peça final?

Assim como os outros itens da lista, esse questionamento também dependerá do nível de tecnologia que seu aparelho possui, da resina utilizada e principalmente da calibração realizada.

De forma geral, os equipamentos mais acessíveis e que não necessitam de grandes investimentos para serem adquiridos como a LCD, possuem um nível de detalhamento levemente inferior, porém atualmente, com a evolução dos LCDs e sistemas de LEDs, têm sido utilizadas mesmo em trabalhos que necessitem de alto nível de exigência.  Já as impressoras LASER e DLP oferecem excelente nível de detalhamento, porém são equipamentos mais caros. 

Mas de nada adianta um bom equipamento se a escolha da resina e a calibração não forem realizadas corretamente. Sempre que for comprar uma resina, verifique a compatibilidade, e antes de realizar a impressão do seu objeto, realize a calibração da resina em sua impressora.

O processo de calibração servirá para regular o tempo ideal de impressão de cada camada para que sua impressora imprima um objeto no tamanho e detalhe corretos. Os tempos de camada para cada impressora normalmente são oferecidos pelo fabricante das resinas, porém podem variar de acordo com lotes e desgaste de impressora. Por esse motivo, sempre que comprar uma nova resina, deve-se realizar a calibração prévia antes do uso.  

Os calibradores podem ser baixados gratuitamente no site da Makertech Labs e caso tenha dúvidas ou dificuldades, entre em contato com nossa equipe de suporte, que terá paciência e prazer em ajudá-los.

4) É necessário pós-cura?

Sim, não é porque a sua impressora terminou de imprimir que a sua peça está pronta, quando ela sai da impressora ainda está ‘’molhada’’, com resquícios da resina líquida e ainda não está totalmente polimerizada(curada). Por esse motivo, é muito importante que a peça passe pelo processo de lavagem,  secagem, e pós cura. A lavagem deve ser feita em solução desincrustante como álcool ou composto detergente, verifique a indicação de cada resina no rótulo.  A secagem pode ser feita com ventiladores e sopradores de ar e somente depois de totalmente seca, sua impressão deve ir para pós-cura. A pós-cura é feita com câmaras UV para finalizar a polimerização da resina e o tempo necessário depende de cada resina, informação esta que deve constar no rótulo ou bula do produto e deve ser seguida, para evitar rachaduras,  mudanças de cor, falta de resistência e outros fatores. 

5) A Resina 3D precisa ser da mesma marca da minha impressora?

Não! A marca da Resina 3D ou da Impressora 3D utilizada não precisa ser a mesma.
O que de fato será relevante é analisar qual o tipo de tecnologia do seu equipamento (DLP, SLA-LASER ou LCD). 

Com essa informação, basta você observar o rótulo das resinas Makertech Labs e verificar se essas siglas (DLP, SLA ou LCD) estão lá, assim você consegue saber qual das resinas é compatível com a sua impressora 3D e pode realizar a sua impressão sem qualquer problema.

6) Tenho dificuldades. É normal?

Sim, não é da noite para o dia que impressões 3D perfeitas sairão da sua impressora, por isso, quanto mais você estudar e praticar melhor! Lembrando que é na tentativa que você perceberá as suas falhas. 

Uma boa dica é procurar fóruns nas redes sociais, assim você tem a oportunidade de interagir e tirar suas dúvidas com pessoas mais experientes, além disso, acompanhando o blog e as redes sociais da Makertech Labs você sempre encontrará respostas para dúvidas reais que recebemos em nosso suporte técnico, tendo a oportunidade de aprender com especialistas no assunto.

Agora que você sabe o caminho é hora de colocar a mão na massa, vamos praticar!

Posts mais lidos

Seletor de Resina 3D

Descubra a resina ideal para sua impressora 3D

Não erre na hora de comprar a resina para sua impressora. Responda o formulário e nós te mostramos a resina correta.

Ver agora
Descubra a resina ideal para sua impressora 3D