Impresora 3D

Resinas 3D Calcináveis na Odontologia

Makertech Labs
Postado por: Makertech Labs
Publicado em: 30/12/2021

Quais problemas vou enfrentar e como escolher os materiais

As próteses dentárias oriundas de fundição são confeccionadas há décadas na odontologia, mas muitos laboratórios odontológicos ainda não conseguiram integrá-las aos fluxos de trabalho digitais devido a dificuldades de adequação às novas tecnologias, aos custos de investimentos e principalmente por problemas durante o processo de fundição.

No entanto esses problemas não são novos. Os técnicos em prótese dentária mais antigos lembrarão dos problemas enfrentados nas fundições na década de 80, onde ainda tínhamos limitações de técnica e problemas em materiais de revestimento.  Como exemplo, citamos a introdução de sprues de plásticos, uma ideia brilhante da época, pois ajudariam diminuir distorções e a retenção de calor gerada pelas ceras.  Porém, rachaduras começaram a ser notadas no revestimento, e uma camada de cera aplicada por fora desses sprues resolveram o problema. Depois disso, sprues ocos foram substituindo os sólidos e com espaço para movimentações na fundição, os problemas foram diminuindo. O que normalmente nunca falamos são as causas dos problemas do passado, e já que foram resolvidos, ficamos felizes e esquecemos.

Hoje, praticamente uma geração depois, as empresas introduziram a impressão 3D de resinas Castable (resinas calcináveis) no setor de odontologia, e começamos a enfrentar os mesmos problemas novamente provenientes de uma evolução. Os primeiros adeptos de copings impressos em 3D começaram com sucesso enquanto o volume era baixo, mas à medida que o número e tamanho de elementos no anel de fundição aumentavam, voltaram os problemas de porosidades e quebra do revestimento durante o aquecimento. Além disso, surgiram outros problemas referentes a tecnologia como falhas nas impressões 3D, adaptação, calibração e uma série de novos problemas que tiram o sono do técnico em prótese dentária. Porém, assim como qualquer nova solução, esta também demanda, além dos equipamentos e softwares, um conhecimento mais aprofundado, o que traz algumas dificuldades na curva de aprendizado até que seja dominada por completo.

Agora progredimos das fundições tradicionais para um fluxo digital, fundições de resina, injeção de dissilicato de lítio e design 3D de armações de próteses parciais cujos volumes de material de resina para impressoras 3d criam um desafio ainda maior. Portanto, precisamos entender o que realmente está acontecendo no anel enquanto o material de resina queima.

Ao contrário da cera, que já inicia seu derretimento quando o revestimento fosfatado atinge os 80°C (em média), a resina castable não se comporta dessa maneira. A mudança de temperatura de onde a resina casable começa queimar até onde ela volatiliza é pequena, e neste intervalo ocorre uma expansão muito grande, causando pressão interna extrema no revestimento que pode vir a fraturar. Isso ocorre principalmente porque os componentes dessa resina são polímeros que se expandem antes de queimar por completo, por possuírem um coeficiente de expansão térmica alto quando aquecidos.

Algumas resinas para impressora 3D Castable atuais, possuem cera em sua composição, visando diminuir os problemas citados, mas ainda possuem em sua formulação polímeros que também irão expandir. Então o que fazer?

Primeiramente devemos escolher materiais de qualidade e de preferência com carga de cera. Seguir as instruções de todo o processo de impressão, lavagem e pós-cura indicado pela empresa é primordial. Normalmente resinas para fundição necessitam de lavagem rápida e a pós-cura deve ser seguida para uma boa queima. Queimas longas e lentas ou rampas de vários patamares ajudam a resolver o problema, mas o principal fator ainda são os revestimentos, que além de fosfatados, precisam ser mais duros e resistentes às expansões para fundições desse novo material. Por esse motivo, escolha sempre revestimentos mais resistentes para trabalhar nas fundições de impressão 3D, ou revestimentos específicos para fundições e injeções de impressões 3D. Novos revestimentos estão surgindo exclusivamente para esta finalidade e já possuem suas rampas definidas.

Onde comprar resina 3d calcinável para impressão 3D?

A Makertech Labs é fabricante de dois tipos de Resina Calcinável para impressão 3D que podem ser encontradas nas melhores Dentais do ramo e na sua própria loja virtual www.makertechlabs.com.br. A Resina 3D PriZma Castable, na cor laranja, sem carga de cera, possui ótimo rendimento, baixa viscosidade e excelente queima, mesmo se tratando de uma resina sem cera. E a Resina PriZma 3D Castable II, na cor verde, esta, com alta carga de cera, que ajuda no processo de fundição e que também pode ser usada para fundições em joalheria. Ambas resinas possuem alta qualidade de impressão 3D e detalhamento, ótimo rendimento e uma queima sem resíduos quando seguido as orientações corretas. Os tempos de impressão para cada impressora, podem ser encontradas no site da Makertech Labs (www.makertechlabs.com.br), além disso você conta com um suporte online com especialistas para tirar suas dúvidas.

Qual o fluxo de trabalho para fundir ou injetar coroas, facetas, fixas e outros elementos?

1. Digitalizar

Colete a imagem tridimensional, normalmente em arquivo STL da boca do paciente digitalmente usando um scanner intraoral ou digitalize um modelo físico de gesso com scanner de mesa.

2. Projeto
Importe os dados de digitalização para o software CAD e projete as restaurações desejadas. Existem vários softwares no mercado, na grande maioria pagos e alguns gratuitos com mais limitações. Escolha aquele que mais se adequar a sua realidade.

3. Impressão 3D

Importe os modelos 3D, no caso, os arquivos STL prontos para impressão para software da impressora, realize a colocação de suportes e fatiamento e envie-os para a impressão.

4. Preparar

Lave as peças rapidamente com álcool isopropílico e seque-as.  Realizar a pós cura das impressões e tirar os suportes. As resinas Makertech Labs Castable I e Castable II possuem os tempos de pós cura nos rótulos e você também encontra as instruções no endereço www.makertechlabs.com.br.

5. Inclusão e fundição

Remova suportes indesejados, inclua no revestimento correto e siga o fluxo normal de fundição que você já conhece. Lembramos que as rampas de aquecimento variam de acordo com as resinas e os revestimentos escolhidos.

6. Conclusão

Finalize, limpe e se necessário jateie as peças e prepare-as para a entrega.

Fotos gentilmente fornecidas pela TPD Juliana Gonçalves.

Posts mais lidos

Seletor de Resina 3D

Descubra a resina ideal para sua impressora 3D

Não erre na hora de comprar a resina para sua impressora. Responda o formulário e nós te mostramos a resina correta.

Ver agora
Descubra a resina ideal para sua impressora 3D