Caso Clínico, Impressão 3D, Impressora 3D, Resina Biocompátivel

Como fazer placas de bruxismo com a Bio Splint?

Makertech Labs
Postado por: Makertech Labs
Publicado em: 5/08/2022

O bruxismo é uma das doenças bucais mais comuns no século XXI, associado ao estresse e ansiedade que a nossa rotina nos causou. É o ato inconsciente de ranger ou apertar os dentes em excesso, o que pode levar a dores nos maxilares, de cabeça, perda de estrutura dental e até mesmo, em casos mais graves, ao travamento da abertura bucal.

De acordo com o Dr. Danilo Bianchi, foi observado o aumento no número de casos de bruxismo desde 2020, muito por conta da época de isolamento causado pelo vírus da COVID-19, refletindo em um aumento no número de pessoas com ansiedade, estresse e depressão nesse período.

Uma alternativa para ajudar no tratamento dessa doença são as placas de bruxismo (ou miorrelaxantes), feitas através da impressão 3D.

E hoje, nós vamos mostrar para você como as resinas da Makertech Labs ajudaram a tornar essas placas ainda mais seguras e acessíveis para os seus pacientes.

O que são as placas de bruxismo?

São placas feitas de acrílico ou resinas 3D (priZma 3D Bio Splint) que agem na desprogramação neuromuscular, promovendo o relaxamento muscular e reposicionando a articulação, consequentemente diminuindo os sintomas como dores de cabeça, dores nos dentes e os rangeres de dentes involuntários.

Elas podem ser obtidas através de uma moldagem da boca do paciente ou a partir de um escaneamento intraoral. 

Indicada para quem se queixa de fortes dores de cabeça e musculares na região da face, além de apertamento, que podem gerar desgastes no dente ou até mesmo fraturas. O uso das placas de bruxismo deve ser diário e contínuo, vale lembrar que ela sozinha não cura o bruxismo, serve para diminuir e até mesmo evitar problemas causados pelo transtorno. 

Placas de bruxismo nas impressoras 3D de resina

Após o escaneamento intraoral no consultório, o dentista (ou o TPD) cria a placa em um arquivo CAD/CAM antes de enviar para impressão 3D. Nesse momento, recomendamos que você preste atenção no eixo de inserção, verificando se está muito retentivo ou expulsivo a placa  miorrelaxante, para não escapar ou prender demais na boca do paciente.

Uma dica de ouro do nosso parceiro Dr. Danilo Bianchi é focar na espessura periférica da sua placa, desejável que ela seja entre 1,5mm a 2mm para evitar que uma camada deslize sobre a outra, tirando a resistência da placa miorrelaxante.

PriZma 3D Bio Splint – feita especialmente para essa tarefa

Feita especialmente para a confecção de placas de bruxismo, a resina priZma 3D Bio Splint tem como características principais a sua boa carga de oclusão e sua biocompatibilidade.

Ela também apresenta uma aparência mais translúcida, ideal quando falamos de um tratamento contínuo na boca de um paciente, mas tem um outro ponto vantajoso, elas são bem mais sensíveis ao processo de cura, levando entre 08 a 20 minutos, variando de acordo com a potência da sua câmara.

A Bio Splint ainda se destaca devido a sua durabilidade e facilidade de impressão em alta resolução, de fácil acabamento e polimento. Compatível com as impressoras DLP, LCD e SLA, você também pode usar glazes conciliáveis com as resinas 3D, um exemplo é o priZma Seal.

Caso você tenha alguma dúvida sobre polimentos com glazes, clique aqui para acessar o nosso guia!

Agora é com você! Já usou a Bio Splint para criar placas miorrelaxantes? Se sim conte-nos como foi a experiência na caixa de comentários!

Posts mais lidos